sexta-feira, novembro 06, 2009

Os Quatro Decanos.

Fazia sol naquele dia. Tinha chovido de madrugada, mas fazia sol naquele dia.
Chegamos bem antes da hora marcada. Éramos quatro. Igual aos mosqueteiros. Eu, Breno, Guilherme e Wecsley.
A cerimônia foi presidida pelo Edilson Freire, na época ele era o Grão Mestre da Maçonaria. Toda a alta cúpula da Grande Loja estava lá. Todas as personalidades maçônicas da época estavam lá. Parecia casamento de rico.
Era um sábado, dia 06 de novembro de 1999. Fazem 10 anos.
Aquela cerimônia ficou conhecida na Grande Loja, como "a Iniciação dos meninos".
Iniciamos na Loja Sete de Setembro nº 22, na época recém fundada. Fomos os primeiros iniciados.
Foram anos de luta. Éramos idealistas. Não havia cargo ou função em Loja que nos amedrontasse. Não havia patente que nos subjulgasse. Havia apenas um ideal.
O velho Amorim, eterno inspirador, foi um dos grandes incentivadores desse idealismo. Ás vezes nos confrontávamos até com ele, que apesar da raiva de ser contrariado, aplaudia a força de opnião. O velho Amorim é um daqueles homens que fazem falta.
Algumas pessoas foram cruciais na minha vida maçônica. Um foi o velho Amorim. O outro, o velho Nicolau, Inspetor Litúrgico da época, sempre tinha um conselho bacana, ou uma história que ele remexia do "baú da memória".
O rabino João foi outro. Eram pessoas que cativavam pelo exemplo.
Foram dez anos de muita luta. E de muito orgulho.
Ontem a noite, de volta àquela pequena Loja, foi como se o tempo voltasse, e eu pude ver o velho Amorim resmungando, o velho Nicolau com seus discursos, o rabino João com sua cultura, e ví também todas os debates, brigas, festas, risos e paixões que me trouxeram até aqui. Foram anos que deixaram saudade. Daqueles que valem um filme.

Um comentário:

Disraelly disse...

Dez anos já bicho?! Parabéns e belo texto!

 
http://rpc.technorati.com/rpc/ping