quinta-feira, junho 04, 2009

Sobre a justiça divina, a fé e a esperança.

Descobrí um dia desses que eu não acredito na tal justiça divina. Na verdade eu concluí que não acredito.
Talvez exista punição divina, ou compensação divina. Mas justiça não existe. Definitivamente não.
Imaginem que uma pessoa seja assassinada. Assim, hipotéticamente falando.
Se houvesse justiça divina, o assassino seria punido ( matar pessoas é feio, e Papai do Céu briga), e a pessoa morta ressucitaria e seguiria normalmente com a sua vida. Simples assim.
Mas o que acontece no mundo real? O assassino pode ou não ir preso, pode ou não ser condenado e pode ou não cumprir a pena. E o morto? Bem, o morto permanece morto.
No final, muita coisa acontece, menos a justiça. Essa vida é muita coisa, menos justa.
Sabe quando alguém te machuca? Pois é, se houvesse justiça divina (algo do tipo "não faça com os outros o que não quer que façam contigo"), você nunca seria ferido por alguém, e mesmo que fosse, não doeria tanto. Na verdade, se houvesse justiça divina, aquele que te machuca sentiria a dor. Ou algo do tipo, de forma que alguém que não merece ser ferido, nunca fosse machucado. A dor seria sentida por quem a causa. Isso sim seria o justo.
No mundo real, sobram pessoas te machucando, e faltam aquelas que assopram suas feridas, te abraçam e te dão algo simples, mas muito caro: esperança.
Eu deixei de acreditar em muita coisa, e a justiça divina é uma delas. Mas ainda mantenho a esperança. E a fé. Pelo menos ainda mantenho. E você, acredita em alguma coisa?

Um comentário:

Disraelly disse...

Eu simpatizo com a Lei de causa e efeito do espiritismo... Ela pode não ser a mais correta, mais pelo menos faz algum sentido.

 
http://rpc.technorati.com/rpc/ping